A altura das férias é uma das melhores épocas do ano!

Em teoria, é a altura do ano em que podemos finalmente desligar do nosso trabalho, dos clientes, dos pendentes e dedicar tempo a nós próprios, à família e ao que mais gostamos de fazer.

Pés à beira mar

Imagem: Pés à beira mar. Fonte: Abbie Bernet no Unsplash

Quando regressamos das férias, voltamos sempre com muita energia, cheios de produtividade, prontos para retomar a corrida dos prazos limite, da caixa de email cheia e dos longos horários de trabalho, que, infelizmente, por vezes podem durar mais do que 12h.

Por isso, o que importa aqui perceber é qual o efeito das na produtividade e quanto tempo dura esse efeito, para que possamos tirar o máximo partido dos seus benefícios.

O papel das férias para a produtividade e motivação

As férias têm um papel muito importante tanto para o trabalhador, como para a empresa.

Para os colaboradores, as férias são óptimas para repor energias e quebrar a rotina do dia a dia, enquanto que, para as empresas, as férias dos seus colaboradores contribuem para a sua motivação e produtividade, contribuindo para o aumento da sua capacidade de foco e dos seus resultados.

O que importa avaliar nestes casos é se o ambiente de trabalho é saudável e propício à motivação e produtividade dos colaboradores, ou se as férias vão funcionar como um refúgio ou um SOS para recuperar da exaustão a que são expostos diariamente.

Sabia que o Burnout não passa com as férias?

Há pessoas que são expostas diariamente a um elevado nível de stress e têm uma grande carga de trabalho para dar resposta, com prazos limite muito apertados. Acontece que, ao longo do tempo, estas pessoas vão sofrendo um desgaste físico, cognitivo e emocional que se traduz na desmotivação e diminuição do seu desempenho, o que pode dar origem a problemas de saúde relacionados com a exaustão.

Mulher de costas a olhar para o chão

Imagem: Mulher de costas a olhar para o chão. Fonte: Volkan Olmez no Unsplash

Independentemente do efeito das férias ser mais ou menos duradouro, é muito importante que perceba que, em situações de burnout, as férias não são uma solução!

O Burnout não passa com as férias!

Recorrer às férias como solução para se afastar de um ambiente que não é bom para a sua saúde não é uma estratégia sustentável e só vai fazer com que, quando regressar das férias, volte muito rapidamente aos velhos hábitos e coloque a sua saúde e sanidade mental novamente em risco.

O efeito das férias no regresso ao trabalho

Segundo Liane Davey, especialista em psicologia organizacional e autora do livro “A good fight”, o efeito das férias dura entre uma a duas semanas, dependendo do trabalho e das funções de cada um.

Este período funciona como uma contagem decrescente para se voltar aos hábitos de trabalho pouco saudáveis que vão continuar a desfavorecer a sua saúde.

É de salientar ainda que, na maioria dos casos, o período em que um colaborador vai de férias representa um período de acumulação de trabalho. Ou seja, quando o trabalhador regressa ao seu emprego tem uma quantidade de trabalho acumulado por fazer, causando logo uma sensação de incumprimento, stress e grande compromisso, que contribui para acabar com os efeitos positivos das férias ainda mais rapidamente.

O Burnout só resulta do excesso de trabalho?

Uma das principais causas associadas ao Burnout é o nível de stress e exaustão associada ao trabalho, no entanto, esta exaustão pode estar ligada a questões emocionais, de propósito de vida ou de incompatibilidade de valores com a empresa onde se trabalha.

O Burnout pode ser resultado da insatisfação com a empresa, com o chefe, com os colegas, ou pode resultar de um sentimento de não integração e da permanência em ambientes profissionais tóxicos, entre muitas outras razões.

Nestes casos, as férias podem funcionar como um período de grande alívio para o colaborador, conferindo até uma sensação de liberdade, mas apenas nos primeiros tempos. Quando os últimos dias de férias começam a aproximar-se, o impacto na sua motivação é substancial.

As férias podem causar uma sensação de afastamento dos problemas do dia a dia, mas não ajudam a resolvê-los!

O problema está quando os tempos livres das férias são usados para reflectir sobre a vida, projectos e ambições e é criado um grande stress pela insatisfação sobre a situação profissional que impede a pessoa de estar no momento presente e aproveitar as suas férias.

Homem a reflectir à janela

Imagem: Homem a reflectir à janela. Fonte: Ethan Sykes no Unsplash

Com tudo isto já sabe, se sente que está nalguma situação de grande stress ou um potencial burnout, não aposte nas férias como uma solução!

Reflicta sobre o seu trabalho, pense nos aspectos que mais gosta na empresa onde trabalha e nas suas funções. Defina o seu propósito no seu trabalho e analise o que lhe traz ou poderia trazer motivação.

Se sentir que não consegue fazer esta análise de forma independente recorra a ajuda de um profissional.

Lembre-se: um burnout afecta muito mais do que a sua produtividade! Afecta a sua saúde e pode dar origens a graves problemas que podem condicionar seriamente o seu futuro.

Venha assistir a um workshop de Inteligência Espiritual e saiba como pode evitar uma situação de burnout!